Plástica de gengiva | Arte Dente - Excelência em Tratamentos Estéticos Odontológicos

Plástica de gengiva

Plástica de gengiva

O que é a plástica gengival?

É uma pequena correção que resulta em uma grande diferença na face e sorriso. Esse é um tipo de cirurgia realizada para melhorar o formato, a quantidade e a posição das gengivas. Nesse caso, o método usado pode ser a reconstrução, o recobrimento das raízes ou ainda o aumento do espessamento caso elas sejam muito finas.  A indicação principal se dá quando o defeito altera a harmonia do sorriso do paciente.

 

Objetivo

Melhorar a estética da gengiva guiada pela melhor harmonia possível dela com os dentes. As Plásticas Gengivais são cirurgias que visam corrigir defeitos gengivais e de tecidos moles em regiões que apresentam algum tipo de comprometimento estético. A indicação principal se dá quando o defeito altera a harmonia do sorriso do paciente.

 

Indicações da plástica gengival

A cirurgia plástica gengival está indicada em casos de gengivas muito grandes (sorriso gengival), retrações (quando a gengiva se desloca e expõe a raiz) - recobrimento gengival, em casos onde a gengiva tem pouca espessura, é muito fina e acaba ficando com coloração ou contornos esteticamente indesejados.

 

Contraindicações

Mesmo pouco invasiva, a cirurgia plástica da gengiva não é indicada para todos. Fumantes têm uma perda óssea excessiva, decorrente da baixa circulação sanguínea periférica, e devem evitar o procedimento, pois o risco de retração gengival é maior. Pacientes com diabete sem controle ou com problemas sistêmicos sérios, como doenças de coagulação ou imunológicos não devem passar por esse tipo de cirurgia. Para esses casos, outras técnicas são sugeridas, como o uso de próteses e resinas.

 

Quais são os fatores de riscos para o sucesso da cirurgia plástica da gengiva?

- Biotipo da gengiva

- Localização dos dentes na arcada

- Fumo

- Diabetes

- Cuidados pós-operatórios

 

Como é feita a plástica gengival

Basicamente são cirurgias onde se descola suavemente a gengiva, sempre preservando as papilas ("triângulo" que fica entre os dentes), deslocando-a para cima, para baixo, para o lado, dependendo do objetivo da cirurgia, ou até mesmo tirando um pouco de tecido do palato ("céu da boca") e enxertando o tecido em outro lugar da gengiva para criar espessura ou volume.

A anestesia usada nos procedimentos de cirurgia plástica gengival é local infiltrativa, com carpules e tubetes anestésicos adequados ao paciente, suas particularidades, sua anamnese, exame clínico e história pregressa.

 

Existe algum pré-requisito?

Para ser submetido a esse tipo de intervenção, o paciente deve ter tratado, previamente, qualquer doença local e sistêmica. A periodontite (doença da gengiva) ou qualquer outro problema bucal. As placas bacterianas devem ter sido tratadas e a saúde bucal geral deve estar em dia.

Além disso, o procedimento pode ser adiado ou até inviabilizado em caso de tabagismo, diabetes, hipertensão e problemas de coagulação.

 

Quanto tempo demora?

Os procedimentos mais simples são rápidos e podem durar 30 minutos, enquanto as mais elaboradas podem chegar a duas horas de duração.

 

Pré-operatório

O pré-operatório de uma cirurgia plástica gengival consiste basicamente em controle de placa bacteriana de forma rigorosa, ausência de tabagismo, anti-inflamatório e antibióticos prescritos pelo profissional.

 

Pós-operatório

Em geral, leva de 15 a 20 dias para ter uma cicatrização. É muito importante que o paciente coopere nesse período de cicatrização, seguindo a risca algumas recomendações essenciais que são:

- Evitar exposição solar, esforços físicos e ingestão de bebidas alcoólicas nos primeiros três a sete dias após o procedimento;

- Evitar falar excessivamente nas primeiras 24 a 48 horas após a cirurgia;

- Não escovar ou manipular a área tratada até a remoção de suturas, se houver, ou de acordo com a recomendação do profissional;

- Alimentar-se de forma leve, dando preferência a alimentos mornos e/ou frios, de consistência pastosa/líquida, coados e livres de fibras nos primeiros sete dias após o procedimento;

- Higienizar a região tratada com produtos específicos para este fim, prescritos pelo profissional;

- Ingerir corretamente as medicações pós-operatórias prescritas pelo profissional responsável pelo procedimento.

- A cirurgia gengival é minimamente invasiva, portanto não costuma causar inchaço e dor.

 

Possíveis complicações da cirurgia gengival

As cirurgias plásticas gengivais são cirurgias delicadas, que em geral envolvem poucos riscos. Pode ocorrer infecção no local, pode haver insucesso caso o paciente não faça repouso adequado, ou fume no pós-operatório, ou até mesmo se o profissional que realizou a cirurgia não estiver habilitado e não tiver destreza para a realização daquele tipo de técnica.

 

O resultado da cirurgia é permanente ou é preciso refazê-la de tempo em tempo?

Depende da técnica utilizada. O resultado final da cirurgia plástica gengival para recobrimento de recessões gengivais, por exemplo, não é permanente para a maioria das situações. Além disso, outros fatores como o biotipo da gengiva ou a quantidade de osso que suporta as gengivas contribuem para a recidiva da retração gengival – que ocorre ao longo dos anos.

Já a cirurgia gengival para nivelamento e alinhamento do zênite gengival pode ser considerada, na maioria dos casos, permanente. É o que pode ser observado nas cirurgias para correção do sorriso gengival, cujos resultados não apresentam modificações significativas ao longo dos anos.

 

E quanto à dor e ao período de recuperação?

As técnicas mais recentes, além de oferecerem ótimos resultados estéticos, proporcionam um pós-operatório com pouquíssimo desconforto ao paciente. Normalmente, o paciente já pode retornar às atividades no dia seguinte à cirurgia, desde que evite esforços físicos e evite traumatizar a região operada. Doenças periodontais, cáries, problemas endodônticos, entre outros, devem ser tratados antes de qualquer cirurgia estética.

 

Quais as técnicas mais utilizadas para a cirurgia plástica gengival?

 - Gengivoplastia

A gengivoplastia é a remoção e reconstrução cirúrgica do contorno da gengiva ao redor do dente. Realizada em consulta única, remove apenas a gengiva que está em excesso e desalinhada. É mais simples que a gengivectomia porque não remove o osso que de suporte às estruturas periodontais.

Apesar da simplicidade, a gengivoplastia pode exigir, ao paciente, vários dias em resguardo. E o período pós-cirúrgico para o início de tratamentos com próteses dentárias, restaurações, facetas em porcelana ou lentes de contato dental pode levar até 60 dias. 

- Gengivectomia

A gengivectomia, a cirurgia plástica periodontal propriamente dita, é indicada para tratamentos estéticos em que apenas o recorte gengival não é suficiente para nivelar e harmonizar as gengivas. Enquanto na gengivectomia apenas a borda livre da gengiva é recortada, na gengivectomia a abordagem cirúrgica se dá sobre toda a estrutura periodontal: gengiva, osso e ligamentos periodontais.

O período de cicatrização se dá, na melhor das hipóteses, em 90 dias. Cirurgias mais delicadas e extensas podem necessitar de até 6 meses até que as gengivas estejam prontas para as moldagens nos tratamentos com laminados e próteses cerâmicas.

- Enxerto gengival para recobrimento de retrações

Por vezes, as retrações gengivais expõem, em demasia, as raízes dentárias. Dores e aumento de sensibilidade ao frio ou alimentos ácidos vêm logo em seguida. Os defeitos estéticos ou ainda outros problemas como aumento na retenção de placa bacteriana associada a doenças como gengivite e periodontite também são causas para a retração em gengivas.

A cirurgia plástica gengival com enxerto é mais complexa e menos previsível. Nela, os enxertos gengivais são coletados do próprio paciente  e inseridos sobre as raízes dentárias que sofreram retrações. Diversos fatores são importantes para que o resultado seja efetivo e não precise ser refeito. Apesar da complexidade encontrado nesse tipo de cirurgia estética da gengiva, já é um procedimento mais comum do que as cirurgias plásticas gengivais para correção de linhas de sorriso.

- Reposicionamento da margem gengival sem enxerto gengival

A técnica para reposicionamento da margem gengival é indicada para a correção de tipos muito específicos de retrações gengivais, cujos enxertos de gengiva coletados no palato ou de áreas próximas não são necessários.  

Nessa técnica, realiza-se uma única incisão, 2 a 3 mm abaixo da margem gengival próxima as recessões gengivais, com o objetivo de distencionar o tecido mole na região problemática. Em seguida, a borda gengival livre é reposicionada na posição correta, e então suturada. A taxa de sucesso para a técnica, entretanto, é alvo de discussões acaloradas com relação à eficácia do tratamento.

- Enxerto gengival de PRF (plasma rico em plaquetas)

Uma técnica recente, porém com pouca comprovação científica de eficiência a longo prazo, preconiza a substituição de enxertos gengivais do próprio paciente por membranas de plasma rico em plaquetas coletados do próprio paciente. 

 

O que é sorriso gengival e como se resolve?

É a exposição exagerada da gengiva ao sorrir, afetando a estética e por vezes causando constrangimento a pessoa que sorri. O Sorriso Gengival é corrigido com cirurgia plástica gengival ou com uma simples aplicação de botox nos músculos envolvidos, marque uma consulta de avaliação para saber o que é melhor para o seu caso.

 

Por que são necessários enxertos gengivais para recobrir raízes?

A razão principal é estética, especialmente quando o paciente mostra a raiz ao sorrir ou ao falar. A plástica gengival de enxerto também pode ser indicada em raízes que apresentam muita sensibilidade.

 

De onde são retirados os enxertos?

Quando for necessário fazer um enxerto, eles são retirados do palato, chamados de enxertos subepiteliais, pois se utiliza apenas uma fina camada de tecido que fica embaixo do epitélio.

Agende uma consulta